Trabalhar por obrigação aumenta o risco da síndrome de Burnout

Pessoas que ficam em um emprego por obrigação ou porque sentem que não têm uma escolha, estão em maior risco para a síndrome de burnout, diz um novo estudo. Quando os funcionários ficam “presos” em empregos porque eles sentem que não têm outras opções, eles são mais propensos a experimentar exaustão emocional.

Síndrome de burnout

Síndrome de burnout

A implicação é que os empregados devem tentar minimizar essa falta de alternativas, do tipo de compromisso entre os funcionários através do desenvolvimento de suas competências, aumentando assim o seu sentimento de mobilidade.

O estudo de 260 trabalhadores, com idade média de 34 anos, em vários tipos de trabalhos, também descobriu que pessoas com baixa auto-estima são os mais afetados por uma percepção de falta de opções de trabalho. Isso pode ser porque esta situação não é vista por esses trabalhadores da maneira que deveria, onde seria natural acreditarem si mesmos como pessoas competentes e importantes.

Ficar em uma empresa sem esse senso de obrigação pode ter um efeito diferente. Pode ser que, na ausência de um vínculo emocional com a organização, o compromisso com base na obrigação é experimentada como uma espécie de endividamento – uma perda de autonomia que é emocionalmente desgastante ao longo do tempo.

One thought on “Trabalhar por obrigação aumenta o risco da síndrome de Burnout

  1. MARIA HELENA FERREIRA

    Acho que tem que haver reuniões entre patrões e funcinários com um bom diálogo, para que se possa chegar em um acordo de ambas as partes, e se não haver nenhumum acordo, então o funcionário tem que procurar o melhor, pois não pode continuar trabalhando descontente isso pode causar problemas.

Comments are closed.