Tatuagens e piercings associados à problemas comportamentais

Tatuagens e piercings estão cada vez mais sendo vistos como nada mais do que uma tendência da moda nas sociedades ocidentais, mas um novo estudo feito França (publicado na revita New Life) descobriram que aqueles com arte do corpo tendem a beber mais álcool do que pessoas que não se tatuaram.

Jovem tatuado

Jovem tatuado

No estudo, os pesquisadores pediram a cerca de 3.000 jovens franceses a fazer um teste de bafômetro quando os mesmos haviam saído de bares e estabelecimentos. As leituras mostraram que aqueles com tatuagens e piercings haviam consumido mais álcool do que aqueles sem os adornos.

Uma série de estudos anteriores tem rotineiramente demonstrado que indivíduos com piercings ou tatuagens são mais propensos a se engajar em comportamentos de risco que os não-perfuradas ou não-tatuado. Estes comportamentos de risco incluem o sexo desprotegido, brigas, roubos e beber.

Obviamente, o estudo não mostra uma ligação direta entre o comportamento e o uso de piercings e tatuagens, apenas aponta uma tendência a problemas comportamentais, mas que de modo algum deve ser avaliado de maneira preconceituosa. São apenas sinais no comportamento que devem ser observados e se necessário interrompidos pelos responsáveis.