Raça branca é mais propensa à prescrição de antidepressivos

Novas pesquisas afirmam que os negros são menos propensos a receberem prescrições de antidepressivos em relação aos brancos, é um número realmente significativo, percebido na última década. Foi constatado que os brancos eram 1,5 vezes mais propensos a receberem prescrição de antidepressivos do que negros com depressão.

Negros e brancos

Negros e brancos

De fato, a raça não desempenha um papel no tipo de antidepressivos prescritos para os pacientes. Vale destacar que os novos tipos de antidepressivos, como a recaptação da serotonina (ISRS) são considerados os tratamentos de primeira linha de drogas para depressão. Já os tipos mais antigos de antidepressivos tendem a causar mais efeitos colaterais.

Este estudo confirmou as conclusões anteriores de que os fatores sociológicos, como raça e etnia e status tem ligação direto com a saúde do paciente. Os resultados mostram a necessidade do planejamento de intervenções para melhorar a prática médica a adesão de diretrizes. De fato, é uma medida importante a ser tomada, que fará toda diferença. Com certeza isso vai ajudar a eliminar variações desnecessárias entre práticas médicas e obter cuidados de saúde ideal para os pacientes.