Palpitações do coração e fibrilação atrial

Palpitações do coração e pressão alta são fatores de risco para uma desordem do ritmo cardíaco comum, chamada fibrilação atrial, relata um novo estudo. A fibrilação atrial aumenta o risco de uma pessoa de ataque cardíaco, AVC e morte.

Problemas de coração

Problemas de coração

Já se sabia que a pressão arterial elevada é um fator de risco para fibrilação atrial, mas, de acordo com os pesquisadores, este é o primeiro estudo a estabelecer uma relação entre fibrilação atrial e palpitações, que são comumente sentidas como um batimento cardíaco rápido ou irregular forte.

Os autores do estudo analisaram dados de quase 23.000 pessoas na Noruega, entre 25 e 96, que foram seguidos durante uma média de 11 anos. Durante esse tempo, a fibrilação atrial ocorreu em 3% das mulheres e 4,2% dos homens. Palpitações frequentes aumentaram o risco de fibrilação atrial em mulheres em 62% e nos homens de 91%.

A pressão arterial elevada (que foi definida como uma leitura de 140/90 mmHg), quase dobrou o risco de fibrilação atrial em mulheres e aumentou o risco em 40% nos homens. Mesmo que a associação entre palpitações e fibrilação atrial manteve-se forte após outros fatores de risco, os pesquisadores disseram que não poderiam concluir com segurança uma ligação de causa e efeito.