Os perigos da infidelidade

As pessoas que têm casos sexuais sem conhecer seu parceiro são menos propensos a praticar sexo seguro do que aqueles que tem o consentimento do seu parceiro a ter relações sexuais com outras pessoas, revela um estudo realizado nos EUA. Essas pessoas também estavam mais propensos a estar sob a influência de drogas ou álcool no momento de seus encontros sexuais.

Preservativo

Preservativo

O estudo da Universidade de Michigan incluiu mais de 1.600 pessoas que responderam a um questionário. Cerca de 800 disseram ter tido relações sexuais com pessoas que não eram seus principais parceiros. Destes, quase 500 disseram que o sexo aconteceu como parte de um relacionamento não-monogâmico, e cerca de 300 disseram que eram sexualmente infiéis aos seus parceiros.

Aqueles que eram sexualmente infiéis apresentavam entre 27% e 35% menor probabilidade de ter usado preservativos no sexo vaginal e anal, respectivamente, e 64% mais probabilidade de ter usado drogas e álcool quando tiveram seus encontros sexuais secretos. A pesquisa sugere que as pessoas que são infiéis a seus parceiros representam um maior risco de contrair DSTs [doenças sexualmente transmissíveis] do que aqueles que são fieis.