Novas descobertas sobre a enxaqueca

Mais duas ligações genéticas em relação às enxaquecas foram descobertas, alguns especialistas reconhecem que esse ainda não será o fim da enxaqueca, mas pode um dia levar a novas terapias. Comparando o DNA de mais de 2.300 pacientes que sofrem com enxaqueca sem aura – o tipo mais comum – com 4,580 pessoas na população em geral, cientistas holandeses descobriram duas variantes genéticas associadas a essa forma de enxaqueca.

Enxaqueca

Enxaqueca

A pesquisa, de autoria de Arn van den Maagdenberg de Leiden University Medical Centre, na Holanda, tem por base um estudo realizado nos EUA, lançado no ano passado, a identificação de três genes ligados à enxaqueca, onde aqueles que herdam qualquer um desses, tiveram um risco de 10% a 15% maior para a condição. As enxaquecas são sub-tratadas, sub-reconhecidas e subdiagnosticadas, especialmente enxaquecas comuns que não possuem qualquer sintoma grave.

Causas e sintomas da enxaqueca

Muitas vezes, as pessoas pensam que a causa da enxaqueca é o estresse, no entanto, é bom saber que há base genética para doenças e nem tudo é tudo o que se imagina. Presume-se que afeta cerca de 12% da população, enxaquecas são caracterizadas por fortes dores de cabeça recorrentes e, muitas vezes resultam em náuseas, bem como a sensibilidade à luz e ao som. Enxaqueca sem aura, que compreendem cerca de dois terços de todos os casos, não incluem sintomas de aura, tais como experimentando pontos cegos ou alucinações, vendo padrões de ziguezague ou sensação de fraqueza.

One thought on “Novas descobertas sobre a enxaqueca

  1. mary

    eu to com sanque na urini e com mau cheiro o que devo fazer é grave?

Comments are closed.