Genes associados ao alcoolismo são descobertos

Uma nova pesquisa aponta 11 variações de genes que parecem estar ligados a um maior risco de alcoolismo. No entanto, o seu impacto nos indivíduos parece ser pequeno e os resultados podem ser muito limitados para imediatamente serem úteis em termos de prevenção ou tratamento, afirma um especialista.

Genes associados ao alcoolismo

Genes associados ao alcoolismo

Ainda assim, os resultados poderiam fornecer mais detalhes sobre o papel misterioso que os genes desempenham na determinação de por que certas pessoas que tem o hábito de beber não se viciam, enquanto outras se tornam alcoólatras. Pode ser possível algum dia para os jovens fazer um exame de sangue para saber se são suscetíveis ao alcoolismo.

Sendo assim, é possível dizer que os genes não são o fator principal, mas sabendo que há o perfil de risco genético é possível fazer escolhas de estilo de vida mais inteligentes, adotando hábitos saudáveis, como uma dieta saudável e a pratica de atividades físicas. Segundo o Instituto Nacional dos EUA sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo, a pesquisa sugere que a genética responde por cerca da metade do risco de que alguém irá se tornar alcoólatra.