Como compreender o autista

O autista normalmente vive fechado em seu próprio mundo particular e só interage quanto sente vontade ou necessidade. Os autistas tem plenas capacidades de aprender e de ter uma vida normal, apesar de suas limitações. Mas para isso é preciso que o diagnóstico seja feito cedo e que o autista seja constantemente estimulado. É preciso entender que o cuidado com um autista exige dedicação, carinho e paciência.

É importante não menosprezar a capacidade do autista de aprender. O autista aprende com a repetição, então é preciso estar disposto a ensinar. Para estimular o contato visual, que é uma dificuldade para autistas, é bacana estimulá-los a acompanhar pessoas e objetos com o olhar, ver sumirem e aparecerem. Muitas vezes a manifestação de vontades por parte do autista podem acontecer de maneira agressiva, mesmo que sejam suas necessidades mais simples. É preciso estabelecer uma boa comunicação com o autista, respeitando suas limitações, mas sempre estimulando-o a interagir.

O ambiente em que um autista vive influencia muito em seu comportamento. Se o ambiente criado para o autista é agitado e cheio de conflitos, ele vai reproduzir este tipo de comportamento. A recomendação é sempre procurar orientação especializada para estimular o desenvolvimento do autista e encontrar um equilíbrio em suas relações sociais e consigo mesmos.