Bactéria intestinal pode contribuir para obesidade

De fato, a obesidade que cresce a cada dia no mundo, é desenvolvida por um estilo de vida cada vez mais sedentário e à abundância de baixo custo, com alto teor calórico. No entanto, novos resultados sugerem que o consumo de calorias em excesso não é apenas o resultado de comer indisciplinadamente, mas que as bactérias intestinais contribuem para alterações do apetite e do metabolismo, afirma o professor Andrew Gewirtz, autor da pesquisa.

Bactéria intestinal

Bactéria intestinal

O aumento do apetite e resistência à insulina pode ser transferido de um rato para outro através de bactérias intestinais. Acredita-se que as populações de bactérias intestinais em pessoas são adquiridas no nascimento, geneticamente. No entanto, eles podem ser afetados pela dieta e antibióticos. Pesquisas anteriores sugeriam que as bactérias podem influenciar o quão bem a energia é absorvida a partir de alimentos, mas este novo resultado demonstra que a bactéria intestinal pode realmente influenciar no apetite de uma pessoa.

Testes feitos em camundongos mostram que também é possível herdar essa síndrome metabólica através do ambiente. Um gene chamado toll-like receptor 5 (TLR5) desempenha um papel importante no controle de bactérias intestinais. Novos estudos planejam investigar as TLR5 variações de TLR5 nos seres humanos, além de estudar em camundongos com bactérias  deficientes em TLR5, os efeitos causados no apetite e o metabolismo.