Alergia alimentar na infância

Nos últimos anos foi registrado um número crescente de pais de crianças com alergias alimentares. Por isso, atividades simples devem ser planejadas, para evitar que o alimento possa causar alergias, como urticária, língua inchada, ou em alguns casos, causar anafilaxia, uma condição que causa risco de vida. Leite de vaca, ovos, amendoim, nozes, soja, trigo, peixes e mariscos são os alérgenos que estão no topo do ranking de alimentos que causam alergias. O número de alergias alimentares entre entrevistados que eram menores de 18 anos cresceu 18% de 1997 a 2007, segundo o Centro Nacional de Estatísticas de Saúde.

Alimentos diversos

Alimentos diversos

Um estudo publicado no mês passado na revista Família & Saúde, estima que 6 milhões de crianças têm alergias  alimentares. Embora a prevalência de alergias alimentares seja crescente, os pais não devem pensar que a criança irá desenvolvê-la, entretanto, é importante sempre estar atento. Alguns pais identificam equivocadamente uma reação adversa do alimento como alergia, como por exemplo uma dor de estômago.

A intolerância alimentar, como por exemplo uma dor de estômago provocada por intolerância à lactose, é diferente de uma resposta do sistema imunológico a um alimento. Essa confusão sobre alergias alimentares levam alguns pais a eliminar os alimentos da dieta de seus filhos, sem saber ao certo se são alérgicas ou não.