Açúcar pode viciar

A ciência cofirma o que há muito tempo já era especulado: o açúcar pode ser viciante. De fato, o adoçante parece ser o responsável por várias mudanças químicas no cérebro, mesmo em pessoas que abusam de drogas como a cocaína e a heroína. As conclusões foram apresentadas na reunião anual do American College of Neuropsychopharmacology, em Nashville (EUA). A evidência de um modelo animal sugere que o consumo exagerado de açúcar pode agir no cérebro de formas muito semelhantes aos das drogas pesadas.

Açúcar

Açúcar

Beber grandes quantidades de água com açúcar quando está com fome pode causar alterações comportamentais e até mesmo mudanças neuroquímicas no cérebro, que se assemelham as mudanças que são produzidas quando as pessoas fazem uso de drogas. Essas pesssoas apresentam sinais de abstinência e até mesmo efeitos de longa duração. A dependência de açúcar pode até mesmo agir como uma porta de entrada para o uso de outras drogas, afirma o estudo.

Ratos foram usados na pesquisa, ficando sem alimentos 12 horas por dia, em seguida, tiveram acesso a alimentos e açúcar (glicose 30 % e 15% de sacarose, semelhante a um refrigerante) cerca de 12 horas por dia, durante três a quatro semanas. Foi constatado um aumento de dopamina, cada vez que houve a recompensa com açúcar. Depois de três semanas, os ratos mostraram sinais de abstinência semelhantes aos observados em pessoas que param de fumar ou fazer uso de bebidas alcoólicas.

Foram observados sintomas de abstinência, ansiedade, depressão e uma queda nos níveis de dopamina. Todavia, períodos mais longos de abstinência não “curaram” os ratos. Em vez disso, houve efeitos duradouros com os animais, pois eles ingeriram mais açúcar do que antes, concluindo portanto que o açúcar pode viciar.