Abuso infantil pode alterar início da menstruação

As meninas que são abusadas sexualmente ou fisicamente podem começar a menstruar mais cedo ou mais tarde do que a média normal. Depois de analisar informações de cerca de 69 mil mulheres, pesquisadores da Boston University School of Medicine descobriram que aquelas mulheres que foram abusadas sexualmente durante a infância foram 49% mais propensas a terem seu primeiro período antes dos 11 anos do que as mulheres que não foram abusadas.

Primeira menstruação

Primeira menstruação

As mulheres que sofreram abuso físico grave tiveram um risco 50% maior de iniciar seus ciclos menstruais mais tarde, ou depois dos 15 anos de idade. Nos Brasil, os períodos de meninas começam, em média, dos 12 aos 15 anos de idade. A pesquisa não sugere, no entanto, que uma menina que começa a menstruar mais cedo ou mais tarde do que o habitual foi abusada.

O abuso infantil, foi associado a idade acelerada e ao atraso na menarca e, mais importante, essas associações variam de acordo com o tipo de abuso, o que sugere que o abuso infantil não tem um efeito homogêneo em resultados de saúde. Há uma necessidade de novas pesquisas para explorar as características de abuso de crianças que podem influenciar nos resultados de saúde, incluindo o tempo, o tipo e a gravidade do abuso, bem como o contexto social em que ocorre o abuso.

Os pesquisadores observaram que as meninas que menstruam mais cedo podem estar em maior risco de certos problemas de saúde, tais como doenças do coração, disfunção metabólica, câncer e depressão. Enquanto isso, as meninas que menstruam mais tarde pode ser mais propensos a ter depressão e menor densidade mineral óssea.